Os cookies.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.

Sobre o item

Resumo
Adília Lopes (1960) apresenta-se nos seus versos como uma freira poetisa barroca portuguesa. O percurso meteórico da sua obra na literatura portuguesa poderia ser um case study de como uma poesia marginal alcança o coração do cânone literário ou sobre como deixar “prognósticos só para o final do jogo.” Autora de uma poesia inteligente e provocadora, Adília Lopes passou das primeiras edições de autor, obras de culto de uma minoria, a ser lida nas salas de aula de Literatura Portuguesa um pouco por todo o mundo. Este percurso tem o seu clímax na publicação de Dobra, a poesia reunida em obra completa pela Assírio & Alvim, em 2009. Encontramos ecos da sua obra em vários campos da nossa contemporaneidade, sejam estes os da arte, com as gravuras que Paula Rego lhe dedica, ou o da música, em letras de bandas como A Naifa.
DOI
10.14195/978-989-26-1256-0
ISBN
978-989-26-1255-3
978-989-26-1256-0 (pdf)
Acesso
open access
Coleção Digital
Pombalina
Local de publicação
Coimbra
Idioma
Português
Tipo
Livro
Nº de visualizações
178
Nº de downloads
34
Notas
Poesia XXI